LEITE MATERNO: Como estimular a produção

De

Em comemoração a semana mundial do aleitamento materno, este post tem como objetivo incentivar o aleitamento materno e ajudar as mamães que tem dificuldade na produção de leite.

Sem duvidas de que esse seja o alimento essencial na vida do bebê.

Oferece muitos benefícios que podem ser notados a curto e a longo prazo. O leite nunca é fraco!

image-4

Nutricionalmente é o alimento mais completo, pois contém em qualidade e quantidade necessárias em relação a alimentação tudo que o bebê precisa.

Alguns dos componentes principais do leite materno, são:  Carboidratos (lactose e oligossacarídeos que estimula o sistema imunológico e protege a mucosa do intestino); Lipídios (ácidos graxos de cadeia longa, como ômega 3, que atua principalmente no crescimento, visão e cognição); Proteínas (caseína que faz parte do soro que atuam estimulando a formação do sistema imunológico e formação de microflora para digestão e aminoácidos); Vitaminas ( A, D, E, K que atuam na proteção da respiração, taurina e beta caroteno que previnem doenças como, retinopatia prematura e outras).

Além de também conter enzimas que ajudam na digestão do próprio leite, pois na fase da vida de 0 até os 6 meses completos o bebê ainda não tem capacidade própria de digestão, também é por isso que não devem ser ofertados outros alimentos e nem mesmo água e chás que tendem a saciar a criança e impedem ou dificultam a absorção total dos componentes do leite materno.

Baby Breast Feeding --- Image by © Corbis

É recomendado que todas as mães estimulem a amamentação o máximo que conseguirem  pois até mesmo as mães adotivas tem capacidade de produção do leite materno através da indução da lactação.

Primeiramente a mãe precisa estar com a alimentação completa e equilibrada, consumir todos os nutrientes e a quantidade de alimentos que supra a demanda energética necessária para esta tarefa. Assim os hormônios irão contribuir com os estímulos.

Hidrate-se o máximo que for possível, com água e sucos. De 3 a 4 Litros por dia!

Existem muitos “mitos” sobre alimentos que estimulem a produção do leite materno, como, carne de sol, pamonha, galinha caipira, mingau de milho, cus cuz de milho, canja de galinha. Mas o que esses alimentos e preparações realmente fazem é aumentar a sede da mãe que tende a consumir mais água e em consequência contribui para a produção de leite.

Não exagere no consumo de preparações muito salgadas e com excesso de sódio pois estas podem causar problemas de pressão arterial.

Os estímulos devem ser feitos com a sucção realizada pelo próprio bebê no seio da mãe, certifique-se de que a criança abocanhou a aréola do seio, se persistir com dificuldade procure o banco de leite da sua cidade. O uso de mamadeiras e chupetas podem prejudicar neste processo.

nao-chupeta-e-mamadeira

Quanto maior a frequência da sucção  o corpo da mulher entende que precisa produzir mais de acordo com os estímulos, quando o bebê terminar a mamada completa de um seio, oferte o outro seio mesmo se o bebê parecer satisfeito, estimule de 1,5h em 1,5h até 3h em 3h dependendo do ganho de peso do bebê que deve ser acompanhado por especialistas, até mesmo a noite nos primeiros meses após o nascimento.

Mantenha calma pois o estresse contribui drasticamente para a diminuição da produção do leite.

Há equipamentos de ordenha que são facilmente encontrados em mercados especializados para serem utilizados após ou entre os períodos de amamentação, aumentando ainda mais o estímulo.

Algumas dificuldades podem surgir durante esse processo e é comum o ferimento das mamas e para isso existem pomadas específicas que auxiliam na cicatrização sem prejudicar na amamentação, informe-se de qual é a melhor para o seu problema com um médico da área. É importante que você não desista e continue com os estímulos.

Uma técnica que está sendo bastante utilizada para mães que tem dificuldade é com utilização de uma pequena sonda que é colocada próximo da mama, com leite materno (doado) para estimular a sucção do seio da própria mãe, esta técnica também é utilizada por mães adotivas.

Ao longo dos meses de amamentação a mãe pode sentir que o leite não está mais enchendo os seios pois eles param de pingar e tem a falsa impressão de que o leite produzido não é mais suficiente pois o corpo da mãe se adapta.

A prática exagerada de exercícios físicos pela mãe também pode prejudicar na lactação.

É recomendado que após os seis meses de vida do bebê seja ofertada a alimentação complementar e o aleitamento materno prossiga até os dois anos de idade.

Procure um nutricionista para contribuir com a construção de bons hábitos alimentares da criança.

2014-05-19_capa

Seja solidária, além de suprir as necessidades do seu filho o seu leite pode ser doado contribuindo para a boa nutrição de outras crianças.

Telefone do Banco de leite de Araguaína (Hospital e Maternidade Dom Orione):3411-8787 ramal:2358

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *